h-is
Ela é linda, pra caralho. Perfeita até onde pode ser, mas não como você pensa, e sim da forma dela. Ela tem um sorriso lindo, e ele consegue ficar mais lindo ainda quando ela está envergonhada, sabe? Vê-la sorrir é como se todos os meus problemas sumissem. Ela é dengosa, mimadinha, sensível, marrentinha. É toda menininha, mas só quem a conhece bem sabe que é um baita mulherão. Ela é branquinha, morena e baixinha, e isso a deixa mais linda ainda. Nunca vi uma garota mais imprevisível que ela, ninguém nunca sabe o que esperar dela. Ela é confusa, demais até. E acostume-se com isso, sei que vai acabar te deixando assim também. Ela é desastrada, desajeitada, e esse jeito-sem-jeito que ela tem chega a ser encantador. Ela é durona, sabe? Não se entrega pra qualquer um, dificilmente deixa alguém entrar em seu coração. Ela tem um medo tremendo de se magoar, tá sempre achando que vai se decepcionar. Sortudo é o cara por quem ela é apaixonada. Você é sortudo, cara. Então a ame da mesma forma em que ela te ama. Quando vocês brigarem, por favor, não a deixe sozinha. Mesmo que ela te mande ir embora, te xingue, diga que acabou. Insista mais um pouco, diga que vai ficar e que não vai deixá-la de forma alguma.Você vai conseguir conquistá-la mais ainda. Ela é complicada, pra porra mesmo. Implica com tudo as vezes. Ela é complexa, cheia de manias e incertezas. E esse é o charme dela. Ela é bagunça, cara. Mas quem é que não se amarra numa boa bagunça? Bom, eu não me amarrava. Até perceber que tinha perdido o amor dela. E porra, eu digo do fundo do meu coração, perder ela foi a pior merda que eu já fiz em toda a minha vida. Então cara, cuide dela, por favor. Cuide com ternura. Ela merece tudo de melhor que você puder dar a ela. Faça dela o teu grande amor, e ela irá te fazer o cara mais feliz de todos.
gabe, supportless.  (via h-is)
h-is
É nessas horas que eu chego a ter pena de mim. Juro. Basta um papel e uma caneta pra tudo começar outra vez. Você vem repentino, devagar e sorrateiro, até estar impregnado novamente nas minhas memórias. Não me julgo uma pessoa plenamente boa, mas sei que não mereço isso. Não é justo. Foi-se o tempo em que eu abrigava a dor na minha casa como uma convidada especial. Confesso que já sofri tudo o que tinha pra sofrer, assim como derramei todas as lágrimas que podia chorar. Toda e qualquer pequena e frágil parte do meu corpo sentiu, pelo menos uma vez, o mundo se esmagar contra a parede da solidão. Não quero tirar a sua dignidade ou menosprezar a parte da minha vida que compartilhei ao seu lado – jamais! O problema é que eu cansei de me rebaixar e matar o meu amor próprio por você. Nenhum ser humano deveria sofrer como eu sofri. E, meu Deus, como foi difícil! Aceitar é horrível, esquecer é doloroso e superar machuca mais que tudo. Pra falar a verdade, a última etapa eu nunca cumpri. Meus vizinhos acham que estou curada, meus amigos pensam que pulei de fase, mas quando a noite chega e tudo parece doer ainda mais, tomando uma proporção ainda maior, eu percebo que não superei. Queria fingir que não é nada, logo passa, as coisas voltarão a ser o que sempre foram, mas não dá. Eu não sou mais a mesma há tempos e disso não tem como fugir. O passado não condena, mas assombra. Você que, por mais que tenha morrido incontáveis vezes aqui dentro, ainda está vivo e arrancando brilhos de olhares carentes aí fora. Eu já te matei com todas as armas possíveis, de todos os métodos imagináveis, mas você cisma em reviver todas as vezes que a minha cabeça deita no travesseiro e as minhas mãos alcançam um papel em branco. E por mais que eu lute, estrofes e mais estrofes são, inevitavelmente, direcionadas ao que fomos. A verdade é dura, meio difícil de aceitar e ridícula de dizer: ainda tenho mil textos não escritos pra você.
Tati Bernardi.   (via h-is)