u-unknown
É essa minha compulsão horrível de quebrar imediatamente qualquer relação bonita que mal comece a acontecer. Essa minha mania de tentar destruir antes que cresça. Porque eu nunca tive motivos pra acreditar em nada que dure pra sempre. Aí apelo para o impalpável e para todas as superstições existentes para que tirem a culpa que carrego de querer tanto ser como os outros, mas não sou. E eu acabo me contentando com tão pouco que todo mundo para manter por perto, descobre que pode dar cada vez menos. E eu fico sem nada, me culpando, eu comigo mesmo me ferindo, sem conseguir prestar atenção se com isso, estou ferindo o outro também. Arrancando minhas próprias penas apenas para ver aonde dói. Sendo expulso do peito de todo mundo por não aguentar morar nesses lugares obscuros de mais que são os outros e suas más intenções disfarçadas. Acabando com esses amores voltados pra mim, de tanto que eu queria que alguém me amassem. Tudo é uma fuga, até minhas dores. Principalmente minhas dores. E eu estou cansado demais. Olhe pra mim, olheiras, ossos e escárnio. Percebe a loucura? Louco. Louco e sozinho, porque eu sei que ninguém vai aguentar isso.
Michael Letto. (via u-unknown)